2016: Animais de fazenda

Mude pelos frangos

  • Nossa campanha foi lançada em setembro e desafiou 8 das principais redes de fast-food internacionais a melhorar a vida dos frangos.
  • Coletamos quase 100.000 assinaturas para pressionar o KFC, McDonald’s, Burger King, Pizza Hut, Domino’s, Starbuck’s, Nando’s e Subway a não comprar frangos criados em sistemas de gaiolas. O McDonald’s foi a primeira rede a assumir esse compromisso.
  • Quase 200.000 pessoas exigiram que o KFC melhorasse a vida dos frangos em sua cadeia de fornecedores. Entre as medidas exigidas está: mais espaço, enriquecimento ambiental e acesso a luz natural.

Brasil

Desenvolvemos um plano com a BRF para melhorar o bem-estar de porcos, frangos e perus. Algumas das melhorias já foram colocadas em prática:

  • Um plano de contingência foi desenvolvido para todas os produtotes, em casos de emergência;
  • Estabelecemos um “checklist” para avaliar o bem-estar dos animais e recolher dados em 13.000 fazendas, possibilitando acompanhar as melhorias;

Porcos

  • O corte de dentes de suínos foi banido, exceto em casos de problemas de bem-estar;
  • Uma das regiões de produção de porcos da BRF (Concórdia-SC) adotou a criação coletiva de suínos em 50% das duas fazendas;
  • A imunocastração, uma alternativa ética à castração cirúrgica, foi adotada para todos os porcos.
  • Estão sendo realizados testes de enriquecimento ambiental em todas as etapas da produção de porcos (gestação, leitões e porcos adultos);
  • A BRF também assumiu um compromisso para acabar progressivamente com o corte de orelhas, substituindo a prática por tatuagens permanentes.

Aves

  • Aumento do enriquecimento ambiental na criação de perus;
  • Mais de 33 produtores de frango (183 galpões) adotaram o enriquecimento ambiental, beneficiando 43 milhões de aves por ano;
  • Colaboramos com a BRF e o Grupo Jamie Oliver para lançar uma linha de produtos com bem-estar animal certificados pela Humane Farm Animal Care (Certified Humane - www.certifiedhumane.org)
  • As 3 maiores empresas de alimentos do Brasil se comprometeram a implementar a gestação coletiva de porcas até 2025 (JBS) e 2026 (BRF e Aurora Alimentos). Isso irá impactar cerca de 48% de todas as porcas criadas no Brasil.
  • O Ministério de Agricultura e a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos desenvolveram uma série de recomendações relacionadas ao bem-estar de porcos.

América Latina

Porcos

  • Estamos trabalhando com duas associações de suinocultores da América Latina, a PORK COLOMBIA e a ASPROCER para encorar produtores a melhorar o bem-estar dos porcos no Chile e na Colômbia.
  • A Pork Colombia criou uma unidade de saúde e bem-estar animal para dar apoio aos produtores da Colômbia e promover práticas de manejo éticas.
  • Realizamos 4 workshops nos principais estados que produzem porcos na Colômbia. Ao todo, treinamos 100 produtores em manejo humanitário. O treinamento irá beneficiar 15.000 porcos.
  • No Chile, treinamos 90% dos criadores de porcos do país em práticas de bem-estar animal.
  • Trabalhamos com a ASPROCER para melhorar os padrões de bem-estar de porcos, uma vez que o Chile é um dos principais produtores da região.

China

Porcos

  • Conduzimos as primeiras avaliações de bem-estar em fazendas da Dexing e Qinglian – estamos confiantes que mudanças significativas podem torná-las modelos para toda indústria.
  • A Associação de Medicina Veterinária da China (CVMA) e a Proteção Animal Mundial promoveram uma visita de empresários chineses às fazendas do Reino Unido e da Holanda para aprender sobre a criação de porcos com altos níveis de bem-estar animal. Os visitantes reconheceram o impacto positivo dos padrões de bem-estar nos porcos e demonstraram grande interesse em testar sistemas de criação coletiva em suas empresas.
  • Realizamos uma pesquisa para entender a percepção do público sobre produtos com altos padrões de bem-estar de porcos. O estudo foi realizado com 2.070 pessoas de 4 grandes cidades da China. Os resultados mostram que 3/4 dos consumidores acreditam que o bem-estar dos porcos é importante e mais da metade deles estão dispostos a pagar mais por produtos com bem-estar.
  • Organizamos um evento em agosto para divulgar os resultados da pesquisa (acima) e lançamos a nossa nova animação sobre porcos. O evento contou com a participação de 5 empresas - McDonald’s, Qinglian, Dexing, New Hope Groups e Keystone. Desde o evento, nossa animação já foi vista mais de 100.000 vezes na internet.
  • Desenvolvemos um video para ensinar o público geral sobre o bem-estar de porcos, que foi visto mais de 10.750 vezes.

Índia

Vacas leiteiras e búfalos

  • O Departamento de Criação de Animais Andhra Pradesh se comprometeu a usar o Código Nacional de Laticínios como material educativo para estudantes de Medicina Veterinária. O manual será traduzido para o idioma local, Telugu, e usado para treinar produtores e veterinários da área rural.
  • Trabalhamos com o Departamento de Criação de Animais de Andhra Pradesh e Telangana para treinar veterinários e trabalhadores locais em práticas de manejo com alto nível de bem-estar de vacas leiteiras.
  • O Ministério da Agricultura e Bem-estar Rural concordou em recomendar o nosso Código Nacional de Laticínios ao Ministério de Meio Ambiente, Florestas e Mudança Climática. O documento deve ser usado como guia para o registro de animais e como manual de treinamento de trabalhadores e veterinários da área rural.
  • O 5º maior banco privado da Índia, o Yes Bank, concordou em usar os padrões do nosso Código Nacional de Laticínios como critério durante os seus serviços de consultoria à construção de estruturas para fazendas de laticínios.
  • Encomendamos uma pesquisa para expor fazendas da área urbana e rural que mantêm vacas leiteiras e búfalos em condições inaceitáveis, negando-as cuidados básicos como acesso a água, comida natural, um ambiente limpo e possibilidade de se movimentar.
  • Também realizamos uma pesquisa com consumidores, revelando que:
    • Quase 90% dos entrevistados acreditam que as fazendas de leite que não propiciarem suficientes níveis de bem-estar para suas vacas e búfalos devem ser fechadas;
    • Quase 87% acham que o governo deve interferir e estabelecer padrões de bem-estar para proteger vacas leiteiras e búfalos;
    • Quase 90% estão dispostos a comprar laticínios de empresas que adotam práticas de bem-estar animal;
    • 3/4 das pessoas que comprar laticínios regularmente estão dispostas a pagar de 5 a 10% a mais por produtos vindos de fazendas que cuidam melhor dos animais;
  • No Dia Nacional do Leite (26 de novembro), lançamos uma campanha para que a população da Índia exija melhores condições de bem-estar para vacas leiteiras.
  • Completamos a 2ª fase do nosso projeto para testar melhorias ligadas de bem-estar animal na cadeia de fornecedores da Nestlé e Unilever.

Reino Unido

Vacas leiteiras 

  • Lançamos nosso vídeo “Full Fact Milk” no Reino Unido para mostrar a preocupação dos consumidores com o bem-estar de vacas leiteiras, apoiando o uso de selos que garantam que as vacas tiveram acesso a um pasto.
  • Como resultado da nossa campanha Full Fact Milk, as empresas M&S e Waitrose publicaram notas oficiais garantindo que o seu leite vem de vacas que tiveram acesso a pastos por pelo menos 100 dias.
  • 8.000 pessoas escreveram para os supermercados do Reino Unido pedindo por leite de vacas criadas em sistemas extensivo.
  • Organizamos dois eventos na Inglaterra junto à Rede de Criação Extensiva de Vacas Leiteiras para falar sobre nossa campanha Full Fact Milk e apoiar produtores com sistemas extensivos - 55 participaram, incluindo produtores, vendedores de mercados orgânicos, universidades e estabelecimentos locais.
  • Publicamos nosso relatório Full Fact Milk com dados científicos sobre os benefícios da pastagem para o bem-estar de vacas leiteiras e recomendações para a criação de um selo de leite produzido em sistemas extensivos.
  • Organizamos uma reunião com o Ministro de Agricultura, George Eustice, para pedir que ele e o seu departamento promovam a criação extensiva de vacas leiteiras.

América do Norte

Galinhas poedeiras

  • Todos os mercados que fazem parte do Conselho de Varejistas do Canadá (RCC) assumiram o compromisso de comprar somente ovos de galinhas que foram criadas fora de gaiolas. A adaptação deve acontecer até 2025. A Proteção Animal Mundial é a única organização de bem-estar animal que integra o RCC e que contribuiu para que os varejistas assumissem esse compromisso.
  • Depois de trabalhar com a Proteção Animal Mundial por 18 meses, a IKEA Canada e IKEA US anunciaram sua transição para ovos de galinhas criadas fora de gaiolas. Todo ano, a IKEA vende mais de 900 milhões de cafés-da-manhã na América do Norte. 

 

Veja nossas conquistas em outras áreas de trabalho:

  

Compartilhe

WhatsApp