Pelo fim das rinhas de ursos

Trabalhamos para dar um fim à exploração cruel de ursos no que é conhecido em inglês como “bear baiting”, um “esporte” desumano e sangrento onde ursos, praticamente indefesos, servem de ‘isca’ para cães raivosos em rinhas

Uma diversão bestial

Em algumas comunidades rurais do Paquistão, grandes multidões se juntam para assistir a ursos digladiando contra grupos de cães treinados para atacá-los. Estes ursos são capturados e forçados a resistir a enormes sofrimentos mesmo antes de serem postos à luta, pois seus dentes caninos são antes quebrados, seus focinhos perfurados com argolas e suas unhas são arrancadas. Com terríveis ferimentos em todo o corpo, a maioria deles sequer supera os oito anos de idade. Quando um urso morre, todo o ciclo de sofrimento é reiniciado, com a captura de outros jovens ursos retirados da natureza e submetidos aos mesmos tormentos.

Além de ilegal, o uso de ursos contra cães em rinhas causa intenso e injustificável sofrimento. Você pode nos ajudar a dar um basta nisso

Rinhas de urso: nosso trabalho

Desde 1997 trabalhamos em parceria com o Centro de Pesquisa em Bio-recursos do Paquistão para dar um fim às rinhas de ursos. E já conseguimos reduzir bastante o número das rinhas, com  ursos libertados e em condições de viverem uma vida mais digna, assim como os seus proprietários. Os nossos esforços incluem:

  • Impedir a realização das rinhas por meio do trabalho conjunto e do cruzamento de informações com parceiros locais e autoridades responsáveis pela fauna do país;
  • Endurecer a legislação que trata das rinhas de ursos, monitorando o seu cumprimento;
  • Lutar pela aprovação de novas leis declarando ilegal a propriedade de ursos ou, ao menos, proibindo o uso de ursos não somente em rinhas de luta, mas também como “dançarinos” ou para pedirem esmolas nas ruas;
  • Reduzir a demanda por este tipo de “diversão”, trabalhando com professores, líderes religiosos, além de proprietários rurais e outras pessoas influentes, com o objetivo de promover a proteção animal e a conscientização de que as rinhas de urso violam os ensinamentos islâmicos;
  • Dar outras formas de subsistência aos proprietários de ursos para que possam definitivamente abandonar este tipo de atividade;
  • Prover santuários para ursos abandonados ou resgatados das rinhas de luta, ressaltando que o nosso objetivo é devolver estes animais ao seu habitat natural;
  • Expor toda a crueldade a que são submetidos os ursos, monitorando e denunciando a exploração destes animais, incluindo aqui também o seu uso como “dançarinos” ou pedindo esmolas nas ruas – situações que vêm se intensificando ao passo que o uso de ursos em rinhas vem decaindo.

Com o seu apoio, podemos impedir que os ursos do Paquistão continuem a ser submetidos a uma vida de dores e sofrimentos

Compartilhe

O declínio das rinhas de ursos: em números

  • 40 ursos usados em rinhas em 2014.
  • 300 ursos usados em rinhas em 2000.
  • 11 mil mesquitas foram visitadas para difundir o nosso trabalho
  • 350 proprietários rurais apoiaram nossos esforços.
  • 27 ursos vivem hoje em paz no santuário de Balkasar.

Saiba mais: o  nosso trabalho pelo fim do uso de bílis de urso na  medicina asiática