5 dicas importantes para quem quer ver animais silvestres nas férias

10 de janeiro de 2018

Tirar fotos e ter contato com animais silvestres pode ser uma atividade turística atrativa, mas é extremamente cruel

Você já deve ter visto ou até mesmo deixado seu like em fotos em que alguém posa segurando ou alimentando um animal silvestre. O contato com animais é uma experiência muito desejada por quem gosta deles, mas esse tipo de prática alimenta o que chamamos de “comércio de selfies” – responsável pelo sofrimento de milhares de animais ao redor do mundo.

No Brasil, especialmente na região amazônica, são exploradas espécies como jacarés, cobras, botos cor-de-rosa e principalmente preguiças. Muitas são retiradas de forma cruel da natureza, submetidas a agressões físicas e aprisionadas em locais sujos e apertados em nome do lucro.

Se você quer ver animais silvestres nas férias de forma responsável, tome alguns cuidados:

1. Não pague para ver animais silvestres presos

A vida em cativeiro gera estresse e pode causar até a morte. Nossa investigação na Amazônia revelou que algumas preguiças presas só sobrevivem 6 meses. E depois de morrer, são substituídas por outros filhotes tirados da natureza.

2. Não faça selfies segurando ou abraçando

Os animais silvestres não são adaptados para interagir com seres humanos, muito menos para nos servir como acessórios fotográficos ou de entretenimento. O processo de domesticação de uma espécie leva milhares de anos e resulta em alterações genéticas – foi o que aconteceu com os cães! Já para “amansar” um animal silvestre, é preciso usar técnicas geralmente cruéis, como a privação de comida ou a separação forçada dos pais.

3. Não use comida para atrair o animal

Mesmo que ele esteja solto! Os animais silvestres possuem dieta e rotina alimentar específicas, que podem ser afetadas seriamente pela oferta humana de comida. Além do risco à saúde, a prática pode gerar competição e aumento de mordidas entre os animais.

4. Não coloque você ou o animal em risco

Lembre-se que animais silvestres podem apresentar comportamento imprevisível e não amigável com humanos. Mantenha sempre uma distância segura, não faça barulho e respeite a sua natureza.

5. Observe os animais em seu habitat natural

É de tirar o fôlego! Além do cenário ser bem mais bonito, você ainda aprende sobre o comportamento natural da espécie e não financia a retirada de animais dos rios, matas e céu brasileiro. Seja um turista responsável.

Junte-se ao movimento

Comprometa-se a acabar com a crueldade no turismo com animais silvestres e faça sua voz ser ouvida. Já somos quase 260.000!

Assine o Código da Selfie aqui:

Algumas preguiças presas só sobrevivem 6 meses. E depois de morrer, são substituídas por outros filhotes tirados da natureza

Compartilhe

WhatsApp