Após fatalidade, surfista Kelly Slater propõe matança diária de tubarões nas Ilhas Reunião

06 de março de 2017

Declaração do esportista americano, que foi campeão mundial 11 vezes, gerou polêmica nas redes sociais

Indignado com a morte recente do body boarder Alexandre Naussac – causada por um ataque de tubarão nas Ilhas Reunião –, o campeão mundial de surfe Kelly Slater defendeu a matança diária de tubarões-cabeça-chata no local.

"Honestamente, não vou ser o mais querido por dizer isso, mas é necessário que haja um sério abate nas Ilhas Reunião e isso precisa ser feito todos os dias”, publicou no seu Instagram:

Mesmo após ser criticado nas redes sociais, Slater manteve sua posição e defendeu que a matança de tubarões-cabeça-chata poderia “beneficiar outras espécies marinhas”. Para ele, há um desequilíbrio populacional. O surfista admitiu, em entrevista à Stab Magazine, todavia, que o problema pode ter sido provocado por interferência humana nos oceanos, como o excesso de pesca na região.

O governo das Ilhas Reunião já tem um programa oficial para matar até 100 tubarões grandes por ano. Slater e outros surfistas defendem que mais animais sejam abatidos.

“A perda de uma vida humana é, sem dúvida, um fato lamentável e que merece toda a nossa consideração – mas isso não deve nos levar a argumentos tão perigosos, como sugerir o abate de animais silvestres para que se desenvolva atividades de lazer e esporte. O abate desses animais nunca será a solução”, ressalta Roberto Vieto, gerente de vida silvestre da Proteção Animal Mundial.

Para Vieto, é necessário buscar alternativas humanitárias que diminuam as interações de alto risco para as pessoas e os animais.

“O mar é o habitat natural dos tubarões e isso tem que ser respeitado”.

100 milhões de tubarões mortos

Em seis anos, as Ilhas Reunião somaram 22 ataques de tubarão – sendo 8 deles fatais. De acordo com o Arquivo Internacional de Ataques de Tubarão, a média de mordidas e ataques de tubarão é de 82 casos registrado por ano no mundo.

Paralelamente, os humanos matam 11.000 tubarões por hora.

“Aproximadamente 100 milhões de tubarões são mortos por humanos todos os anos, enfrentando muito sofrimento”, lamenta Roberto Vieto. A estatística é da Dalhousie University, Canadá, mas os pesquisadores responsáveis pelo relatório estatístico a consideram abaixo da realidade. Para a equipe de pesquisa da Dalhousie, somado à caça ilegal, o número de tubarões mortos anualmente pode chegar a 273 milhões.

Cerca de 6.4% a 7.9% de todos os tubarões do mundo são mortos por ano, dificultando a recuperação dessas populações e levando ao declínio das espécies.

“Isso coloca em risco a sobrevivência desses animais maravilhosos e incompreendidos”, lamenta Roberto Vieto, da Proteção Animal Mundial.

“Os tubarões dependem da nossa ajuda para evitarmos uma matança cruel. E as pessoas que aproveitam o mar deveriam ser as primeiras a defender o ecossistema marinho, promovendo o bem-estar animal e a conservação das espécies que nele habitam”.

“O mar é o habitat natural dos tubarões e isso tem que ser respeitado” - Roberto Vieto, Proteção Animal Mundial
Categorias: 

Compartilhe

WhatsApp