Bem-estar em pauta na produção suína brasileira

27 de novembro de 2014

Especialistas em bem-estar animal de todo o mundo se reuniram nesta semana em Brasília (DF) para discutir soluções sustentáveis na produção de porcos, com foco na gestação coletiva de matrizes suínas.

O workshop “Boas Práticas de Bem-estar Animal em Sistemas Sustentáveis na Produção de Suínos” foi promovido pela World Animal Protection em parceria com o MAPA (Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Centro de Estudos Comparativos em Saúde e Bem-Estar da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP.

Juntos, produtores, representantes da indústria, do governo e da sociedade civil, além de acadêmicos e instituições financeiras discutiram como melhores padrões de bem-estar animal podem ajudar na competitividade e sustentabilidade da suinocultura. No centro da agenda, estava a questão do fim das gaiolas de gestação e a transição para o sistema de gestação coletiva, onde as porcas podem expressar seu comportamento natural e social.

O Brasil é atualmente o quarto maior produtor e exportador de carne suína do mundo.

Parceria global

Durante o evento, o gigante do setor de alimentos BRF anunciou uma parceria com a World Animal Protection para melhorar o bem-estar dos porcos, comprometendo-se a acabar com as gaiolas de gestação em toda sua cadeia de produção em um período de 12 anos, seguindo os padrões estabelecidos pela União Europeia. A World Animal Protection vai oferecer suporte técnico e monitorar o progresso dessa transição. 

O workshop aconteceu na sequência de um importante evento de cooperação bilateral em bem-estar animal entre a União Europeia e o Brasil. De 17 a 21 de novembro, a Comissão Europeia realizou, pela primeira vez na América Latina, o “Better Training for Safer Food” (Melhor Formação para Alimentos mais Seguros), em Uberlândia (MG). O evento foi seguido ao 2º Encontro de Cooperação Bilateral EU-Brasil em Bem-Estar Animal. Representantes da Comissão Europeia e do MAPA discutiram normativas de bem-estar relacionadas ao transporte e abate.

Desde 2008, a World Animal Protection tem trabalhado ativamente com o MAPA no treinamento de 340 frigoríficosa, o que beneficiou aproximadamente 5,5 bilhões de animais em cinco anos.

Pioneirismo brasileiro

“O Brasil está a ponto de assumir uma posição pioneira em produção sustentável de animais. Quando defensores do bem-estar animal, governos e a indústria da carne se envolvem em áreas de interesse mútuo, fica claro que a produção de animais pode ser tanto sustentável quanto lucrativa. Se de um lado nós entendemos que os produtores brasileiros enfrentam problemas bem diferentes dos produtores europeus, por outro parabenizamos o fato de os padrões europeus estarem sendo considerados globais em bem-estar na produção de animais”, disse Ruud Tombrock, diretor regional europeu da World Animal Protection. 

“O Brasil está a ponto de assumir uma posição pioneira em produção sustentável de animais"

Compartilhe

WhatsApp