Colômbia quer agenda de proteção ao boto em reunião de países amazônicos

18/12/2014

Após receberem petição com mais de 142 mil assinaturas de pessoas de todo o mundo pedindo a suspensão da venda da piracatinga – peixe apanhado usando carne de boto como isca –, o Ministério de Relações Exteriores da Colômbia abriu as portas à World Animal Protection.

"Estamos esperançosos de que uma resolução mais firme e concreta surja em breve”

Em reunião que aconteceu na segunda-feira, dia 15, representantes do Ministério disseram estar conscientes da mobilização pública em torno da proteção ao boto cor-de-rosa e que estão mobilizados para encontrar soluções em conjunto com os demais países amazônicos. 

A intenção das autoridades colombianas e da World Animal Protection é abordar o assunto dentro da OTCA (Organização do Tratado de Cooperação Amazônica), um fórum de oito países que, desde 1978, aborda os problemas e desafios transnacionais da região amazônica. Atualmente, o Brasil preside esta organização. 

Em uma reunião prevista para acontecer no primeiro trimestre de 2015 entre Brasil, Colômbia e Peru (Comissão de Vizinhança), a Colômbia se comprometeu em manter na agenda três pautas relacionadas à caça ilegal do boto: a proibição da pesca da piracatinga no Brasil, o uso da carne de boto e de jacaré como isca, além das suspeitas de alta taxa de mercúrio na piracatinga, o que representa um risco de saúde aos consumidores. 

Em outra frente, os representantes do Ministério colombiano se dispuseram a levar nossas reivindicações para os órgãos responsáveis pelo comércio na Colômbia. A ideia é discutir as medidas que o país vizinho deve adotar depois que a moratória da piracatinga entrar em vigor no Brasil, em janeiro de 2015. 

“Uma vez mais, o governo colombiano se mostrou sensibilizado com a ameaça ao boto cor-de-rosa e aberto a discutir conosco medidas para proteger este animal. Estamos esperançosos de que uma resolução mais firme e concreta surja em breve”, disse Ricardo Mora, diretor de programas na América Latina de World Animal Protection. “Essa atitude positiva se deve às mais de 142 mil assinaturas de pessoas de todo mundo, o que prova a importância da mobilização de pessoas comuns em prol da proteção dos animais.” 

Participe da campanha

World Animal Protection continuará sua campanha até que medidas concretas sejam tomadas pela proteção do boto e que se ofereçam alternativas sustentáveis aos pescadores da Amazônia. Seja você também um guardião do boto. Junte-se à campanha euprotejoboto.org.br