Como movemos o mundo pelos animais em 2017

19 de dezembro de 2017

Mais uma vez, seu apoio mudou a vida de milhares de animais. Em todo o mundo, protegemos 1,7 bilhão de animais na natureza, nas fazendas, nas comunidades e depois de desastres

Animais silvestres

Após três anos de campanha em defesa do boto cor-de-rosa, finalmente pudemos comemorar a proibição da venda da Piracatinga na Colômbia. A pesca dessa espécie de bagre é a principal causa da caça do boto na Amazônia brasileira. Essa vitória só foi possível graças ao apoio das mais de 300 mil pessoas que se juntaram a nós e se tornaram Guardiões do boto, e ao trabalho de outras organizações que lutam pela proteção do boto cor-de-rosa. 

No mundo todo, mais de 255 mil pessoas assinaram nosso Código da Selfie e se comprometeram a proteger os animas silvestres contra a exploração da indústria do turismo. Influenciado por esse movimento impressionante, o Instagram se juntou à nossa campanha pela #SelfieSemCrueldade e passou a alertar seus usuários sobre o sofrimento que essas fotos podem causar a milhares de animais.

No Amazonas, nossos esforços para proteger os animais silvestres recebeu o apoio de professores e 350 alunos na comunidade de Vila São Pedro. Eles se tornaram os primeiros Líderes da Fauna e se comprometeram a proteger os animais silvestres da Amazônia.


Nossa ação no Parque Trianon, em São Paulo, conscientizou as pessoas sobre a exploração de animais silvestres no turismo.

Animais de fazenda

Em 2017, movemos o Brasil para melhorar a vida de milhares de animais no país. Graças ao nosso trabalho, a partir de agora, mais de 147 mil porcas não passarão suas gestações presas em gaiolas.

Mais de 65 mil pessoas assinaram nossa petição para pedir ao Ministério da Agricultura que crie uma legislação para acabar com práticas ultrapassadas e cruéis na criação de porcos. Suas vozes foram ouvidas e o primeiro passo já foi dado: no final deste ano, o governo anunciou a criação de um grupo de trabalho para a elaboração da nova legislação – uma importante vitória para os porcos!

No Brasil, cerca de 46 milhões de frangos passaram a viver em locais com enriquecimento ambiental, melhorando significativamente seu bem-estar. Também avançamos pelo bem-estar de milhões de frangos criados por fornecedores do KFC. Após meses de campanha, a gigante do fast-food se comprometeu a trabalhar conosco para melhorar a vida desses animais


Com apoio de voluntários, saímos às ruas para mostrar às pessoas a importância de mudar a vida dos porcos.

Animais em comunidades

Juntos com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, treinamos 500 representantes do governo em manejo de populações de cães e gatos e guarda responsável. Pelo menos oito cidades já iniciaram alguma atividade relacionada ao tema como, por exemplo, censo canino, aquisição de microchips de identificação e organização de campanhas de esterilização. Além disso, distribuímos materiais educativos sobre prevenção de mordidas de cães em 40 secretarias de educação de municípios paulistas.

Também lançamos nosso primeiro curso online sobre gerenciamento de populações de cães, totalmente gratuito, em conjunto com a Universidade do Paraná (UFP).

Em Minas Gerais, produzimos juntos com o Ministério Público do Estado o manual de Manejo de Populações Caninas. Esse importante documento irá apoiar o trabalho de 400 magistrados que lidam com questões relacionadas a cães.

Na Romênia, apoiamos a construção de uma clínica veterinária e centro de reabilitação na cidade de Cernavoda. O local irá atender aproximadamente 2.000 cães de rua por ano.

Nossa luta contra a raiva seguiu pelo continente africano. No Kênia, vacinamos 55 mil cães contra a doença e em Gana, cerca de 1.500 receberam a vacina antirrábica e 400 crianças foram treinadas em sala de aula sobre a importância da guarda responsável e controle da raiva.


Em Serra Leoa, vacinamos centenas de cães contra a raiva e, em 2018, a vacinação continuará.

Animais marinhos

No Rio de Janeiro, alertamos sobre a ameaça da pesca fantasma para o bem-estar dos animais marinhos durante um importante evento organizado pela ONU, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IOUSP).

Nossa equipe ajudou a retirar 2.000 metros quadrados de redes fantasmas do Golfo da Califórnia, no México. A região é habitat de uma das espécies mais ameaçadas do planeta, as vaquitas marinhas.

Ainda neste ano, novas organizações como a WWF International e a PADI International se juntaram à Iniciativa Global de Combate à Pesca Fantasma (GGGI). Agora, a iniciativa já conta com 66 organizações e o apoio de 12 governos.


Nosso parceiro Mamíferos Marinhos do Maine (MMoME) reabilitou e devolveu à natureza o filhote de foca Higgins, encontrado ferido por redes de pesca fantasmas.

Animais em desastres

Quando inundações, furacões, deslizamentos de terra e outros desastres naturais ameaçaram a segurança dos animais, nossas equipes de desastre enfrentassem o desafio de levar comida, água, abrigo e cuidados veterinários até eles. Após as fortes chuvas que atingiram Alagoas em junho deste ano, viajamos até Marechal Deodoro, um dos municípios mais afetados, para distribuir toneladas de ração e vitaminas para cães, gatos, galinhas, porcos, cavalos e gado.

Realizamos intervenções em 16 países, atendendo quase 850 mil animais. Nas ilhas do Caribe, devastado pelo furacão Irma, cerca de 50.000 animais receberam ajuda.

Também realizamos trabalhos de preparação a desastres em diferentes países, entre eles, a Índia, onde organizamos cursos de treinamento em resposta veterinária de emergência em seis estados, e o México, onde trabalhamos com o governo para incluir os animais nos planos de emergência do país.


Sophia e seu amado cão Max foram separados pelo furacão Irma. Encontramos Max e o mantivemos seguro até que pudessem ser reunidos.

Ano novo, novas resoluções?

Essas conquistas são apenas alguns destaques do fantástico trabalho que estamos fazendo juntos. Mas o sucesso não significa que nossa luta terminou. Infelizmente, milhares de animais ao redor do mundo ainda estão sofrendo e precisam de nossa ajuda.

Se você quer fazer ainda mais pelos animais no próximo ano, há muitas formas de ajudá-los – como incluí-los em suas resoluções de ano novo.

Você pode continuar a apoiar nossas campanhas e a divulgar nossas mensagens entre seus amigos e familiares, ser voluntário em abrigos ou mesmo fazer escolhas de consumo conscientes no seu dia-a-dia.

Em 2018, queremos ter você conosco para mover o mundo pelos animais

Categorias: 

Compartilhe

WhatsApp