Conheça o mamífero asiático explorado para produzir café mais caro do mundo

11 de maio de 2016

Turismo está aumentando a procura pelo café civeta, revela novo estudo divulgado pela World Animal Protection

A pesquisa mostra que mais de 16 estabelecimentos de café civeta foram inaugurados ao longo de uma das principais estradas turísticas em Bali, só nos últimos 5 anos.

Veja o relatório completo (em inglês). 

Segundo o Dr. Neil D’Cruze, pesquisador de vida silvestre da World Animal Protection: “As civetas são animais noturnos. Elas são capturadas na natureza e mantidas em gaiolas pequenas simplesmente para atrair turistas curiosos, que querem ver como o café é feito”.

Uma xícara de crueldade

A verdade sobre a produção do café mais caro do mundo deixa um gosto desagradável na boca de muita gente...

Uma única xícara da bebida gourmet, também conhecida como “Kopi Luwak”, pode custar até US$ 100. É um dos cafés mais caros e raros do mundo.

A Indonésia tem uma longa tradição de café civeta “cage free”, ou seja, produzido com fezes coletadas na natureza.

Isso mesmo, fezes. Os apreciadores do Kopi Luwak acreditam que o sistema digestivo das civetas fermenta e altera a composição química dos grãos de café, resultando em um gosto peculiar.

Para aumentar a produção e atender à demanda turística, as civetas são mantidas em jaulas, sob condições cruéis.

Os animais são forçados a se alimentar só de café – mas, na natureza, sua dieta inclui desde ratos a insetos e frutas como amoras, mangas e bananas.

Esta é uma civeta. São pequenos mamíferos asiáticos, que têm hábitos noturnos e gostam de escalar árvores.

Em cativeiro, as gaiolas de ferro machucam suas patas e impedem que se escondam durante o dia – causando dor e estresse contínuos.

Ver as civetas aprisionadas ajuda a convencer os turistas de que estão bebendo o verdadeiro café civeta, faz parte do tour.

“Infelizmente, muitos turistas fecham os olhos para a crueldade por trás da bebida e até formam filas para tirar fotos e postar nas redes sociais”, lamenta o Dr. Neil D’Cruze, pesquisador da World Animal Protection.

A maioria dos produtores de café não sabe como cuidar da espécie, o que causa doenças e até a morte de civetas – tudo por um café gourmet.

Após denúncias da World Animal Protection, pelo menos 13 atacadistas – incluindo marcas famosas como Harrods e Selfridges, no Reino Unido, e Simon Lévelt, na Holanda – retiraram o produto de suas prateleiras ou concordaram em investigar sua origem.

Mas detectar se o café civeta é cruel ou não é um desafio: não se pode distinguir facilmente os grãos coletados na natureza dos obtidos em gaiolas.

Se os turistas veem civetas enjauladas, como parte do “tour”, já é um claro indicativo de que o local promove maus-tratos desnecessários contra animais – alerta o Dr. Jan Schmidt, co-autor da pesquisa.

Proteja as civetas

A World Animal Protection pede para que os turistas evitem o café civeta ou escolham marcas certificadas como “cage free”.

Os tours de Kopi Luwak são promovidos pela TripAdvisor e estão entre as 10 atrações mais cruéis do mundo. Junte-se a mais de 200.000 pessoas e exija que parem de lucrar com o sofrimento animal.

Assine nossa petição “Silvestres. Não Entretenimento”.

Se os turistas veem civetas enjauladas já indica que o local promove maus-tratos contra animais

Compartilhe

WhatsApp