Crueldade: Exército brasileiro tortura e mata coelho

31 de julho de 2015

Imagens são extremamente violentas e mostram um soldado, coagido por superiores, matando um coelho à paulada para comer os seus olhos.

Os abusos praticados pelo Exército brasileiro contra o animal vieram à tona por meio de um vídeo, nesta semana. A gravação foi feita em Porto Velho (RO), durante um treinamento de sobrevivência na selva.

“Eu quero ver o olho desse coelho pular fora”, ordena um dos militares. Ele instrui o rapaz a segurar o animal com uma mão e dar o golpe com a outra. Ao hesitar, o soldado é ridicularizado e coagido a agir. “Está com medo de machucar o coelho? Está com dó? Pancada única, anda logo”, diz um dos superiores, enquanto outro zomba: “Por que tu tá tremendo?”.

O coelho é enfim atingido com um golpe na cabeça, que faz os seus olhos saltarem. Os militares cortam os olhos do animal imediatamente e forçam o soldado a comer, parabenizando-o em seguida. O coelho continua vivo, agonizando.

Assista o vídeo, em reportagem da Rede TV-SP.

“É uma técnica de extrema violência contra um animal indefeso”, lamenta Rosangela Ribeiro, gerente de programas veterinários da World Animal Protection.

Para ela, “as cenas mostram uma incitação à violência e ao sadismo, que não se encaixam em uma instituição pública”.

Carta ao Ministério

Na quinta-feira (30), a World Animal Protection enviou uma carta ao ministro Jaques Wagner, solicitando que o Ministério da Defesa apure o caso e garanta o tratamento ético a animais em todas instituições brasileiras.

“Sabemos que os animais são seres sencientes, são tutelados pelo Estado e possuem direitos”, lembra Rosangela Ribeiro, “cabe a nós assegurá-los”.

Sindicância militar

O caso está sendo investigado por uma sindicância militar, que reconheceu a autenticidade das imagens e informou que elas foram gravadas em junho deste ano.

Em nota, afirmaram que soldados são frequentemente submetidos a testes para aprender a obter alimentos da natureza. Segundo o alto comando do Exército, todavia, o comportamento dos militares no vídeo não condiz com as normas da instituição.

“Torturar e matar um animal dessa maneira configura maus-tratos”, critica Rosangela Ribeiro, citando a lei de crimes ambientais.

De acordo com o artigo 32 da Lei Federal nº 9605/98, praticar ato de abuso, maus tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos é crime.

Faça sua parte

Ajude-nos a divulgar o caso e a cobrar mudanças na conduta moral do Exército brasileiro. Compartilhe a notícia e use a hashtag: #ExercitoSemCrueldade

“É uma técnica de extrema violência contra um animal indefeso”

Compartilhe

WhatsApp