Pesca ilegal: um apelo às maiores Marinhas do mundo

14 de dezembro de 2017

As embarcações de pesca ilegal perdem ou jogam equipamentos no mar com frequência – e isso está matando os animais marinhos. Agora é hora das Marinhas se tornarem parte da solução para esse problema.

Nosso CEO Steve McIvor escreveu às 10 Marinhas mais poderosas do mundo pedindo a elas que aumentem o patrulhamento nos oceanos para combater a pesca ilegal e ajudar a salvar os animais.

Existe uma conexão clara entre os navios que praticam pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (em inglês, IUU - illegal, unreported and unregulated) e a perda ou abandono de equipamentos nos oceanos. Tanto o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) quanto a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) já reconheceram essa ligação incontestável.

Para escapar das autoridades, as embarcações de pesca ilegal jogam suas redes ao mar, onde elas se tornam redes fantasmas que prendem e matam milhares de animais todos os anos.

"Os animais que ficam presos nesse equipamento incrivelmente resistente e durável sofrem uma morte longa e dolorosa e geralmente morrem sufocados ou de fome. Além disso, pedaços finos de linha de pesca podem envolver um membro ou o pescoço de um animal, causando infecções, constrições e, por fim, a morte ", explica McIvor.

Mas a pesca ilegal não afeta somente os animais. Ao redor do mundo, muitas comunidades são prejudicadas por essa atividade, pois seus esforços para conservar e gerenciar os estoques de peixes são ameaçados, assim como a segurança alimentar. Essa atividade também causa perdas sociais e econômicas de curto e longo prazos.

Como as redes fantasmas estão prejudicando os animais

Todos os anos, mais de 100.000 baleias, golfinhos, focas, tartarugas e outros animais são capturados por redes fantasmas. Lentamente, elas destroem os habitats marinhos e matam os animais.

Estima-se que 640.000 toneladas de redes fantasmas são abandonadas nos oceanos anualmente, representando um risco não só imediato como também de longo prazo.

Os plásticos utilizados na fabricação desses materiais são muito duráveis e podem permanecer nos oceanos por até 600 anos. Além disso, ao se degradarem, transformam-se em microplásticos que causam graves danos à saúde dos animais e das pessoas quando ingeridos.
 

Conheça nossa campanha contra a Pesca Fantasma e saiba como estamos trabalhando para proteger a vida marinha.

 

Imagens: Jim Wickens, para a World Animal Protection

“Sua ajuda é vital para eliminarmos essa ameaça dos oceanos” - Steve McIvor

Compartilhe

WhatsApp