Petição chega a 250.000 e indústria de turismo começa a se mover pelos animais silvestres

13 de maio de 2016

Agências de viagem podem mudar destino de animais silvestres usados em atrações turísticas – mas algumas ainda hesitam

Mais de 250.000 pessoas já assinaram a petição da World Animal Protection, exigindo que a TripAdvisor e sua subsidiária Viator parem de lucrar com o sofrimento de animais silvestres.

Por enquanto, a TripAdvisor não agiu, mas está começando a escutar.

Na última semana participamos da conferência internacional Phocuswright Europe, na Irlanda, ao lado de líderes do mercado turístico. Entramos em contato com CEOs da TripAdvisor, Viator, Musement e GetYourGuide para discutir a promoção de atrações cruéis em suas empresas.

Eles aceitaram se reunir conosco.

Fique de olho para saber qual será a respostas dessas grandes empresas turísticas, nas próximas semanas. Acompanhe a World Animal Protection no Facebook, no Twitter ou por newsletter.

E continue pressionando a TripAdvisor:

Já assinou? Compartilhe com seus amigos e familiares.

Mais de 100 empresas já apoiam

Isso mesmo. Mais de 100 empresas de turismo já fizeram sua parte, parando de vender e promover atrações que exploram elefantes.

Cada vez mais profissionais do mercado turístico estão entrando em contato com a World Animal Protection, conforme nossa campanha cresce, para saber como proteger a vida silvestre.

Entre eles está Rod Cuthbert, fundador e ex-CEO da Viator.

Comprada pela TripAdvisor há alguns anos, a empresa de reservas online oferece ingressos para algumas das atrações mais cruéis do mundo.

Quando Rod soube da nossa campanha “Silvestres. Não entretenimento”, ele nos procurou:

“Parte o meu coração ler sobre o sofrimento que um filhote de elefante enfrenta ao trabalhar numa dessas atrações. É uma vergonha para pessoas como eu, que já venderam dezenas de milhares de ingressos para lugares assim”, se arrepende Rod Cuthbert.

Por que empresas de turismo?

No mundo, 550.000 animais são explorados para entreter turistas.

Quando um governo falha em protegê-los, essa responsabilidade recai sobre a população. Porém, muitos turistas têm sua escolha influenciada pela promoção de ingressos e pela comercialização de pacotes de viagem.

Se há oferta de atrações com animais silvestres – como andar de elefante ou tirar uma “selfie” com tigres – é mais difícil ver o problema. Assim como a maioria pessoas, muitos turistas desconhecem a crueldade por trás do entretenimento com animais silvestres.

Por isso, as empresas e agências de turismo podem fazer tanta diferença.

Se essas empresas pararem de oferecer atrações cruéis para seus clientes e começarem a usar sua influência para conscientizar as pessoas, a indústria do turismo pode acabar com esse sofrimento.

Os turistas concordam.

85% das pessoas ao redor do mundo, da China à Nova Zelândia, disseram que agências de viagem deviam evitar atividades que causam sofrimento aos animais silvestres (TNS polling, 2014).

Faça sua parte

Se você trabalha ou é proprietário de uma empresa de viagens e quer fazer a diferença para os animais silvestres, por favor, junte-se à campanha.

“Parte o meu coração ler sobre o sofrimento que um filhote de elefante enfrenta ao trabalhar numa dessas atrações” - Rod Cuthbert, ex-CEO da Viator

Compartilhe

WhatsApp