Por que defender gambás, morcegos e lagartixas?

14 de agosto de 2018

É bom ir preparando espaço no seu coração para este trio inusitado. Depois de conhecê-los melhor, será impossível não se apaixonar!

Fotos no topo: Eric Kilby, Fábio Queslau Ortiz e Mathesont (Creative Commons)

Você que estava aí, só esperando o dia dos humilhados serem exaltados, já pode comemorar: o dia chegou! Afinal, hoje é o Dia Mundial da Lagartixa e essas sabem bem o que é humilhação...

Antes de fazer cara feia, continue lendo e talvez a sua percepção sobre esses animais mude. Comuns nas nossas casas, as simpáticas lagartixas ainda são cruelmente mortas ou sofrem maus-tratos (como ter seus rabinhos cortados!) por pura ignorância humana.

Inspirados pelas protagonistas de hoje, nossos especialistas em animais silvestres selecionaram o Top 3 dos Inglórios: aqueles animais de quem muitas pessoas têm medo ou nojinho – sem saber que, na verdade, são espécies silvestres maravilhosas e inofensivas.

Se antes você desprezava algum destes animais, é porque ainda não os conhecia direito. Mas já vamos resolver isso:

3°: Mestres do equilíbrio

Gambás não oferecem risco algum aos seres humanos. Muitos confundem os gambás brasileiros com a espécie norte-americana ou as jaritacacas: aquelas pretas que têm uma faixa branca nas costas. Mas, ao contrário delas, os nossos gambás não erguem o rabo para esguichar o tão temido “fedorzinho”.

A constar, a maior defesa deles é se fingir de morto.

O primeiro fato encantador sobre os gambás, é que são marsupiais. Ou seja, as fêmeas carregam seus filhotes até que eles atinjam tamanho e maturidade adequados para serem independentes – assim como os coalas e cangurus.

Se você morre de amores por cangurus carregando seus filhotes, por exemplo, eis a oportunidade de morrer de amores em terras brasileiras mesmo!

Foto: Monica R. (Creative Commons)

Quem mora em casa pode enfrentar desafios com alguns desses espertinhos tentando filar restos de comida. Essa é a forma que alguns animais silvestres encontraram de sobreviver no ambiente urbano. Mas pense bem, se eles estão ali é porque há oferta de alimento fácil.

“Cabe a nós adequar nossas residências para evitar que alguns animais se alojem ou encontrem alimento fácil ali dentro. Com isso, delimitamos um espaço confortável em que podemos viver sem competir com outras espécies”, conclui Roberto Vieto, nosso gerente de vida silvestre.

Seja por confundi-los com ratazanas ou achar que oferecem risco, algumas pessoas acabam machucando ou até mesmo matando gambás cruelmente. Mas, além de inofensivos, eles são extremamente importantes na dispersão de sementes e controle de pequenos invertebrados – como baratas, por exemplo.

É, pode agradecer aos gambás por essa!

2°: Lordes das trevas

Morcegos são um dos animais mais incríveis que existem no mundo e, infelizmente, um dos mais estigmatizados também. São os únicos mamíferos voadores e têm um superpoder: um sonar exclusivo.

Apesar de serem retratados como criaturas sanguinárias, a maioria das espécies só se alimenta de frutos, insetos e néctar – especialmente as que vivem em áreas urbanas.

Foto: Max Pixel (Creative Commons)

Outro preconceito que os morcegos sofrem é o de serem transmissores da raiva, assim como outros mamíferos, mas esse é um risco mínimo. Apenas as espécies que se alimentam de sangue podem ser transmissoras e, das mais de 1.200 espécies catalogadas, só 3 são hematófagas.

Morcegos são uma ótima alternativa orgânica para o controle de pestes agrícolas e urbanas – um único morcego pode comer até 600 insetos por dia (inclusive mosquitos da dengue).

Além disso, eles também são ser excelentes dispersores de sementes e polinizadores, auxiliando inclusive na recomposição de ambientes degradados.

1°: Rainhas do sorrisinho

E fechamos o nosso ranking com elas: as lagartixas!

Muita gente não pode nem ouvir um “Lagartixa!” que já sai correndo, gritando, chamando o SAMU... Mas acalmem os corações porque, vale constar, elas também são totalmente inofensivas para humanos. Lagartixas não têm veneno, nem transmitem doenças e na maior parte do tempo só estão ali paradinhas na nossa parede. Não têm interesse nenhum em nós.

E tudo bem que hoje é o seu dia, mas não é só por isso que as lagartixas merecem ser exaltadas: esses simpáticos répteis são excelentes caçadores e se alimentam justamente de insetos que muitos de nós não querem ter em casa – como aranhas, moscas, traças, baratas, mosquitos e até pequenos escorpiões.

Foto: Basile Morin (Creative Commons)

Por isso, as lagartixas são nossas grandes aliadas na hora de cuidar do lar (e você aí reclamando de fazer tudo sozinho, né?).

Podemos conviver amigavelmente com lagartixas, morcegos e gambás. Assim como todo animal silvestre no Brasil, eles são protegidos por lei. Não persiga, mate ou maltrate esses animais.

Cada um deles desempenha um papel fundamental para o equilíbrio do ecossistema em que todos nós vivemos e merece o nosso respeito.

Caçar, perseguir ou maltratar esses animais silvestres é crime no Brasil
Categorias: 

Compartilhe

WhatsApp