Proteção Animal Mundial participa de operação para salvar as vaquitas marinhas

07 de julho de 2017

Restam apenas 25 exemplares da espécie no mundo, todas elas no golfo da Califórnia

O mamífero marinho mais ameaçado do mundo está perdendo a batalha contra o inimigo número um dos oceanos: as redes de pesca fantasma

Mas o trabalho da Proteção Animal Mundial, em conjunto com o Comitê Internacional para a Recuperação da Vaquita (CIRVA) e a Monterey Bay Diving, está trazendo uma nova esperança para que esse emblemático morador dos mares mexicanos possa continuar nadando livremente.

Com o apoio dos pescadores da cidade de San Felipe, no México, retiramos 5.702 metros quadrados de redes de pesca ilegal abandonadas no habitat natural desses animais, o Golfo da Califórnia. Na operação, a equipe utilizou uma tecnologia avançada de ecolocalização para identificar os materiais.


Equipe de pesquisadores e pescadores se preparando para localizar e retirar redes de pesca abandonadas no golfo da Califórnia.

“Estamos muito satisfeitos em poder utilizar a tecnologia inovadora de escaneamento por sonar, fornecida pela Monterey Bay Diving, em conjunto com as iniciativas de remoção de redes realizadas pela CIRVA. As informações obtidas são cruciais para salvar a vida de um animal que está criticamente em perigo desaparecer”, afirma Elizabeth Hogan, Gerente de Campanhas de Oceanos e Vida Silvestre da Proteção Animal Mundial.


Equipamento de ecolocalização sendo preparado para uso na operação.

As redes removidas do mar serão recicladas por parceiros da Iniciativa Global de Redes de Pesca Fantasma (Global Ghost Gear Initiative - GGGI), criada pela Proteção Animal Mundial. 

Inimigo fantasma da fauna marinha

As redes de plástico são usadas na região para a pesca ilegal de um grande peixe chamado Totoaba, que também está ameaçado de extinção. A bexiga natatória desse peixe tem grande demanda no mercado negro da China, onde é ser utilizada na medicina tradicional.

Ao final da temporada de pesca do Totoaba, as redes abandonadas ficam flutuando no mar e se transformam em armadilhas mortais para as vaquitas. Esses animais ficam presos ao plástico e morrem asfixiadas.


As redes de pesca fantasma são a principal causa de morte das vaquitas marinhas.

Todos os anos, 640.000 toneladas de redes de pesca fantasma são jogadas no oceano, matando mais de 136.000 focas, leões marinhos e baleias, além de milhões de aves, tartarugas e peixes.

Nossa campanha "Pesca Fantasma" tem como objetivo reduzir a quantidade de redes de pesca fantasma nos mares, retirando e reciclando esse material, enquanto resgata os animais presos a elas.

"As redes de pesca fantasma são a principal causa da diminuição da população de vaquitas marinhas” Elizabeth Hogan, Gerente de Campanhas de Oceanos e Vida Silvestre.

Compartilhe

WhatsApp