Proteção Animal Mundial se junta a ONG australiana para criar santuário de golfinhos

21 de agosto de 2018

Estudo está em andamento para a criação de um refúgio marinho na Austrália que irá libertar todos golfinhos em cativeiro no país

Unimos forças com a ONG Action for Dolphins (AFD) para testar a possibilidade de criação de um santuário marinho em Nova Gales do Sul, Austrália, para os últimos cinco golfinhos que vivem em cativeiro no país.

Estamos financiando um estudo pioneiro para avaliar o bem-estar animal, a engenharia e as implicações financeiras de uma iniciativa como essa.

“Santuários para golfinhos já estão sendo pensados nos EUA e Europa, mas agora, com esse estudo de viabilidade, o Nova Gales do Sul pode ser o primeiro desse tipo no mundo inteiro”, afirma Jordan Sosnowski, diretor de relações institucionais da Action for Dolphins.

Atualmente, os golfinhos são mantidos no Dolphin Marine Magic Coffs Harbour, um parque que oferece atrações com animais marinhos. O local tem colaborado com a Action for Dolphins para que esses animais, finalmente, deixem de ser explorados pelo turismo de entretenimento com vida silvestre.

"Infelizmente, depois de anos presos em piscinas, os golfinhos não podem ser devolvidos à natureza, mas santuários marinhos podem proporcionar ambientes e condições muito mais dignas para que eles vivam o resto das suas vidas em um ambiente mais próximo do natural", explica Ben Pearson, Gerente de Campanhas da Proteção Animal Mundial.

Sea World na mira da Proteção Animal Mundial

Desde 1991, alertamos as pessoas sobre o problema de manter animais marinhos em cativeiro e, principalmente, usá-los como entretenimento.

"Enquanto investigamos possíveis soluções para os santuários marinhos, continuaremos pressionando os locais de entretenimento com golfinhos ao redor do mundo para que acabem com a reprodução em cativeiro e com a interação direta com o público”, explica Pearson.

Com a crescente demanda pelo fim de atrações cruéis com a vida marinha, o debate sobre o que acontecerá com esses animais precisa começar.

Convocamos também o Sea World Marine Park, na Gold Cost, a começar a planejar o futuro de seus golfinhos. "O lançamento desse estudo para criação de um santuário marinho confirma, ainda mais, que é uma questão de quando (e não se) o Sea World irá fechar. Eles precisam pensar no futuro de seus golfinhos, parando de reproduzi-los, interrompendo as interações com o público e estudando a criação de um santuário marinho”, acrescenta Pearson.

Juntos, podemos pôr fim à crueldade com animais marinhos mantidos em cativeiro para entreter pessoas

"O lançamento desse estudo confirma, ainda mais, que é uma questão de quando, e não se, o Sea World irá fechar"

Compartilhe

WhatsApp