RJ: ministramos o 1º curso de manejo de animais em desastres para Defesa Civil

21 de novembro de 2018

Propostas de proteção e bem-estar animal desenvolvidas por participantes podem ser incluídas no Plano de Emergência do Estado

Mais de 30 agentes do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil do Rio de Janeiro foram capacitados pela nossa equipe para manejar animais em situações de desastre.

O treinamento foi realizado pela Proteção Animal Mundial, em parceria com a Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec-RJ) e com a Escola de Defesa Civil (Esdec-RJ).

Nosso objetivo é fazer com que profissionais de diversos setores estejam prontos para garantir a proteção e bem-estar dos animais nas atividades de redução de riscos e de resposta a tragédias.

“Hoje os animais fazem parte das famílias, seja como animais de estimação ou até mesmo como meios de subsistência para famílias nas zonas rurais. Um estado que se prepara para reduzir os riscos e os impactos causados pelos desastres nos animais pode prevenir grande perdas e servir de exemplo para outros estados”, diz Rosangela Ribeiro, nossa gerente em programas veterinários e responsável pela realização do curso.

Veja a nossa atuação em desastres naturais recentes ao redor do mundo.

Entre os profissionais que participaram estavam membros da Sedec-RJ, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ), do Comando de Polícia Ambiental da Polícia Militar (PMERJ), da Cruz Vermelha, Guarda Municipal, órgãos municipais de Defesa Civil e Proteção Ambiental e voluntários.

O curso aconteceu entre os dias 24 e 26 de outubro, na sede da Esdec-RJ.

Plano de Emergência do Estado e a proteção dos animais

Ao longo dos 3 dias de curso, foram apresentadas metodologias de avaliação de impacto na vida animal – tanto nas áreas urbanas, quanto nas áreas rurais -  e de como podemos agir preventivamente para reduzir os riscos e o impacto de diferentes desastres naturais na vida dos animais.

Também foram discutidas as novas diretrizes do Marco de Sendai e suas implicações nos planos de redução de risco nos países mais vulneráveis.

No do 3º dia, durante a dinâmica final, os participantes foram divididos em 5 grupos e cada grupo precisou apresentar propostas para inclusão dos animais – domésticos, silvestres e de fazenda – em um Plano de Redução de Riscos.

As ideias desenvolvidas pelos participantes serão encaminhadas ao Departamento Geral de Defesa Civil (DGDEC) com objetivo de serem incluídas no Plano de Emergência do Estado

"Um estado que se prepara para reduzir os riscos e os impactos causados pelos desastres nos animais pode prevenir grande perdas e servir de exemplo para outros estados"
Categorias: 

Compartilhe

WhatsApp