Salvando baleias das redes de pesca fantasma da América Latina

18 de novembro de 2015

Como parte da nossa campanha contra a “Pesca Fantasma”, financiamos o treinamento de uma equipe no México para que mais baleias possam ser atendidas e resgatadas

Recentemente, integrantes da Rede de Assistência a Baleias Enredadas (RABEN) participaram de um programa de aprendizado no Centro de Estudos Costeiros (CCS). O treinamento durou três semanas e foi financiado pela World Animal Protection.

Conheça a nossa campanha contra a "Pesca Fantasma".

Todos os anos, cerca de 136 mil focas e baleias ficam presas em redes de pesca abandonadas. Porém, o resgate de baleias emaranhadas é uma tarefa difícil e perigosa – e por isso, receber o treinamento adequado é fundamental.  

O aprendizado no CCS possibilita que os membros do RABEN ensinem outras equipes como resgatar essas baleias da forma mais segura e eficiente possível.

Falta qualificação para resgatar baleias

Os equipamentos de pesca são uma ameaça global aos animais marinhos. Não importa se eles estão ativos (em uso) ou abandonados – a chamada “pesca fantasma” inclui redes, cordas e outros materiais que são perdidos ou descartados no mar.

Estima-se que 640 mil toneladas desses materiais são jogados no mar por ano: uma ameaça fatal a milhões de animais marinhos.

No entanto, em todo o mundo, apenas algumas pessoas têm o treinamento e os equipamentos necessários para desenroscar e libertar baleias de grande porte.

“Eu trabalho como guia de observação de baleias há anos. Às vezes, quando via uma baleia presa em cordas de pesca, era frustrante não poder ajudar. Assim que tive a oportunidade de me juntar ao RABEN, eu soube que poderia ajudar as baleias de um jeito mais seguro e mais organizado”, comenta Karel Beets, após o curso financiado pela World Animal Protection.

Para ele, esta é uma oportunidade de repassar o conhecimento adiante e ampliar o número pessoas treinadas neste tipo de resgate.

O objetivo dele é compartilhado por Francisco ‘Ricky’ Rebolledo, outro integrante do RABEN que completou o curso. “Essas três semanas no CCS foram uma grande experiência – pude ver como a equipe deles responde em situações de resgate e ser parte disso foi incrível”, descreve.

Ambos já ajudaram a treinar equipes na região costeira do México, em sete estados. E agora, pretendem ensinar tudo o que aprenderam para as unidades do RABEN em diferentes países da América Latina.

Prevenção em primeiro lugar

Ricky e Karel destacaram, porém, que ainda mais importante do que o resgate é prevenir que esses equipamentos de pesca sejam jogados no mar. Por isso, além de ensinar a resgatar baleias de forma segura, o RABEN promove workshops com pescadores.

Na World Animal Protection, também realizamos nossas próprias forças-tarefas para remover estes equipamentos do mar e evitar que milhões de animais marinhos sejam ameaçados.

Este esforço é complementado por nosso trabalho junto às comunidades e empresas pesqueiras, na tentativa de reduzir a quantidade de equipamentos perdidos e reciclar materiais coletados do oceano.

Você sabia que uma rede de pesca antiga pode ser reaproveitada e transformada em carpetes? Veja o vídeo (em inglês).

A World Animal Protection também financia a Global Ghost Gear Initiative (GGGI), uma aliança entre diferentes setores que busca erradicar a pesca fantasma no mundo e tornar os oceanos um lar mais seguro para os animais.

Viu uma rede fantasma na sua região?

Se encontrar um equipamento de pesca no mar ou na praia, deixe um aviso em nosso Mapa de Pesca Fantasma (em inglês).

Informar onde e quando você viu um equipamento abandonado (como redes, cordas de pesca etc.) nos ajuda a identificar os locais onde os animais mais precisam de socorro.

Juntos, podemos mover o mundo para proteger milhões de animais marinhos nesta e nas próximas gerações.

Todos os anos, cerca de 136 mil focas e baleias ficam presas em redes de pesca abandonadas.

Compartilhe

WhatsApp