Taiwan proíbe o consumo de carne de cão e gato

13/04/2017

Nova legislação foi aprovada nesta quinta-feira e é um importante marco para a proteção animal na Ásia

“A produção e comércio de carne de cães e gatos envolve práticas cruéis – e isso precisa acabar”

A Proteção Animal Mundial parabeniza Taiwan pela decisão histórica.

“Esperamos que a nova legislação sirva de exemplo”, comemorou o nosso diretor de Animais em Comunidade, Pankaj KC. “A produção e comércio de carne de cães e gatos envolve práticas cruéis e desumanas – e precisa acabar”.

A partir de agora, a multa para quem consumir ou vender carne de cães ou gatos em Taiwan será de aproximadamente R$ 5.000 a R$ 25.700.

A nova medida também aumentou a penalidade para quem cometer crueldade contra animais, dobrando o tempo máximo de prisão. A fiança para quem causar ferimentos, falha dos órgãos ou morte de um animal também foi aumentada e pode ultrapassar R$ 200 mil.

Os condenados poderão ainda ter os seus nomes, fotos e crimes divulgados, conforme reportado pela CNA Taiwan.

O cruel consumo de carne canina

A carne de cachorros ainda é popular em diversas regiões da Ásia. Entre os principais mercados consumidores estão Filipinas, Coréia, Indonésia e sul da China – onde milhares de cães são mortos brutalmente durante o Festival de Yulin, todos os anos.

“Esperamos que essa nova legislação sirva de exemplo e ajude a acabar com a produção de carne de cão e gato para consumo humano. Além de cruéis, frequentemente essas práticas envolvem condições sanitárias deploráveis e falta de regulamentação, o que representa um risco para a saúde pública, para a disseminação da raiva (doença) e outros problemas de segurança alimentar”, argumenta Pankaj.

Para ele, a nova legislação reflete uma crescente indignação ao redor do mundo contra o consumo de carne canina. Pesquisas recentes mostram que há uma oposição cada vez maior a essas práticas, inclusive na Ásia.