Tinder pede para pessoas removerem suas selfies com tigres do app

07 de agosto de 2017

Passe por alguns perfis no Tinder e logo você encontra alguém posando ao lado de um tigre. Mas não por muito tempo: o app pediu para seus usuários não publicarem fotos com tigres!

O Tinder é um dos aplicativos de paquera mais populares do mundo.

E um dos primeiros a se posicionar contra fotos tiradas com animais silvestres mantidos em cativeiro: "posar ao lado do rei da selva não te torna um". 

Em seu blog, a empresa escreveu: “É hora de acabar com as selfies com tigres. Essas fotos, na maioria das vezes, não passam de exploração de animais belíssimos - que são retirados à força do seu habitat natural. Os animais silvestres merecem viver na natureza.”

A declaração do Tinder é um passo na direção certa para proteger os animais silvestres usados para entreter turistas.

“Quando estiver de férias, lembre-se que a oportunidade de tirar uma foto única pode significar uma vida inteira de sofrimento para o animal”, ressalta Cassandra Koenen, líder de campanhas de vida silvestres na Proteção Animal Mundial. “Se você pode montar, abraçar ou tirar uma selfie com um animal silvestres, pode ter certeza que é cruel”.

O preço por trás de uma selfie

As fotos com tigres deixam de ser "corajosas" quando você percebe o que realmente acontece nos bastidores.

No ano passado, nosso relatório Expondo as selfies com tigres destacou o papel que o governo, a indústria turística e os próprios viajantes têm na exploração de animais silvestres para entretenimento.

O relatório revelou que essa indústria vem expandindo rapidamente. Na época das nossas investigações, mais de 830 tigres viviam em cativeiro nas atrações turísticas da Tailândia - em comparação com 623, em 2010.

O aumento de 33% revela uma prática preocupante: a reprodução acelerada – sem qualquer benefício para a preservação da espécie, uma vez que os tigres nascem só para serem explorados para entretenimento humano.

Os principais problemas de bem-estar dos animais nessas atrações incluem:

  • Serem separados de suas mães com apenas 2 ou 3 semanas de vida
  • Serem segurados por turistas sem treinamento, centenas de vezes por dia, o que causa ferimentos e estresse
  • Dor, medo e fome são usados para punir tigres que não se comportam de forma "indesejada"
  • Gaiolas apertadas de concreto ou recintos cruéis com acesso limitado a água fresca
  • Problemas de comportamento associados com ambientes estressantes

Você pode ser parte da solução, ficando longe de qualquer atrações turística que permita interação direta entre pessoas e animais silvestres, como tirar selfies com um tigre ou alimentar filhotes.

 

Recentemente, lançamos a campanha #UnidosPelaManada para ajudar outra espécie explorada pela indústria do entretenimento: os elefantes. Milhares de pessoas já assinaram o nosso compromisso de acabar com a crueldade nas atrações turísticas. Assine agora!

Participe da campanha

“Se você pode montar, abraçar ou tirar uma selfie com um animal silvestres, pode ter certeza que é cruel”

Compartilhe