Turismo com animais na América Latina

04/10/2014

Pesquisa da World Animal Protection mostrou que 86% dos entrevistados consideram a visita a aquários como uma atividade \"aceitável\".

"São diversos os exemplos, na América Latina, de atividades turísticas que utilizam de forma equivocada animais silvestres"

Atividades como montar em elefantes ou tirar fotos com tigres podem não ser o sonho de turismo exótico do público latino-americano. Nem por isso, animais silvestres deixam de sofrer com a indústria de entretenimento pouco responsável do lado de cá do Atlântico. 

Segundo pesquisa da World Animal Protection, as atividades mais populares com animais para os brasileiros são visitas a zoológicos ou aquários, de acordo com 54% dos que responderam à pesquisa. Segundo 86% dos entrevistados, a visita a aquários é uma atividade aceitável e para 65% deles mergulhar com golfinhos também. 

Leia mais:

São diversos os exemplos, na América Latina, de atividades turísticas ou simples entretenimento humano, que utilizam de forma equivocada animais silvestres: aquários de golfinhos no México e na República Dominicana, as propriedades para caça no México, a ilha de micos na Colômbia, a fazenda de tartarugas nas Ilhas Cayman, a retirada de macacos e bichos-preguiça da natureza para fotos e os circos que usam animais. 

No Brasil, a World Animal Protection fez campanha em 2011 a favor do PL 7291/2006, que prevê banir o uso de animais em circos. Esse projeto de lei ainda não foi aprovado no Congresso, mas 10 Estados já possuem essa legislação. 

Para ajudar a acabar com o turismo irresponsável com animais silvestres, acesse nossa nova campanha Antes de Reservar.