Um dia de esperança para o boto

15/08/2014

Após petição com mais de 20 mil assinaturas, governo Colombiano recebe World Animal Protection para discutir maneiras de proteger o boto cor-de-rosa.

Você que acompanha nosso trabalho já conhece o problema: o boto cor-de-rosa há muito tempo está sendo cruelmente morto na Amazônia brasileira para servir de isca para pescar a piracatinga, um bagre que é exportado principalmente para a Colômbia.

Mas hoje é um dia de esperança para este inteligente mamífero. Vamos nos reunir com autoridades colombianas para pedir o fim do comércio da piracatinga neste país.

Há uma semana, lançamos uma petição para toda América Latina pedindo ajuda para pressionar o governo colombiano e para informar os consumidores de que o peixe que eles consomem trás um rastro de morte e crueldade do outro lado da fronteira.

Desde então, vinte mil pessoas já se uniram a nossa campanha e somaram vozes para pedir à Colômbia o fim do comércio da piracatinga. Graças a seu apoio, fomos chamados a explicar o problema e apresentar nossa solução.

Nesta manhã nos reunimos com a Autoridade Nacional de Aquicultura e Pesca da Colômbia. À tarde, seremos recebidos por representantes do Ministério das Relações Exteriores.

Nossa expectativa é grande. Por isso, vamos compartilhar por aqui os resultados de nossas conversas. Juntos, movemos o mundo para salvar o boto!

12h (Bogotá) -- Estamos reunidos com a Autoridade Nacional de Aquicultura e Pesca da Colômbia para pedir medidas urgentes para proteger o #boto. Na foto, o coordenador da campanha de Vida Silvestre da World Animal Protection, Roberto Vieto.

Isso foi graças à ajuda de mais de 20 mil pessoas que assinaram a petição pedindo para que o país suspenda a importação da piracatinga brasileira.

13h30 (Bogotá) -- Acabamos de sair da reunião com a Autoridade Nacional de Aquicultura e Pesca da Colômbia. Existe boa vontade do governo colombiano em tomar medidas para proteger o boto cor-de-rosa.

14h (Bogotá) -- Seguimos agora para o Ministério de Relações Exteriores da Colômbia, onde seremos atendidos pela senhora Faryde Carlier González, Diretora de Assuntos Econômicos, Sociais e Ambientais.

Momentos antes de entrar na reunião...

18h (Bogotá) – O balanço da reunião foi muito positivo. Representantes do Ministério de Relações Exteriores da Colômbia escutaram os argumentos da World Animal Protection, apoiados por as mais de 20.000 pessoas que assinaram a petição até agora. 

O governo colombiano mostrou seu desejo de cooperação para proteger o boto da Amazônia, propondo a inclusão da problemática na agenda regional.

Esta foi a primeira de uma série de reuniões de colaboração para achar soluções que garantam a proteção de este simpático animal.

A pesar dos avanços, a batalha não foi vencida, ainda precisamos de seu apoio. Não se esqueça de assinar e compartilhar a petição. Juntos, protegemos o boto da Amazônia.

Obrigado por participar desta iniciativa.

Seu apoio trouxe resultados

Seu apoio trouxe resultados

Governo colombiano recebe World Animal Protection para discutir a morte cruel e ilegal do boto. Leia relato dessas reuniões.