‘Urso dançarino’ que resgatamos no Nepal finalmente irá para santuário

20 de junho de 2018

Após meses de pressão e incertezas, as autoridades do país concordaram em retirar Rangila do zoológico precário para o qual foi enviado secretamente

No final de 2017, resgatamos Rangila e Sridevi, os últimos “ursos dançarinos” de que se tinha notícia no Nepal. A nossa operação, que teve a participação do Instituto Jane Goodall e da polícia nepalesa, marcou o fim da prática cruel de forçar esses animais a dançarem para multidões de turistas no Nepal.

Após o resgate, os dois ursos-preguiça foram abrigados temporariamente na reserva ambiental de Parsa National Park até que fossem transferidos para um santuário na Índia, onde poderiam viver livres de sofrimento.

Porém, enquanto aguardavam a documentação necessária para a viagem, Rangila e Sridevi foram transferidos secretamente (sem a nossa autorização) para um zoológico em Katmandu. As condições do local eram precárias e não atendiam nem mesmo às necessidades mais básicas dos ursos. Por conta disso, infelizmente, a ursa Sridevi  morreu durante sua estadia lá.

O urso Rangila atrás das grades no zoológico para o qual foi transferido secretamente no Nepal.

Não poderíamos permitir que Rangila tivesse o mesmo destino. Passamos dois meses trabalhando incansavelmente para pressionar o governo e finalmente ter nosso apelo atendido.

“A mudança secreta dos ursos para um zoológico foi um verdadeiro golpe. É um alívio saber que Rangila agora viverá a vida que merece no santuário, livre de sofrimento e recebendo os cuidados adequados”, declara Neil D’Cruze, Gerente Global de Vida Silvestre da Proteção Animal Mundial.

Ainda há muitas perguntas não respondidas sobre a razão pela qual os ursos foram levados para o zoológico sem que consultassem a nós ou ao Instituto Jane Goodall do Nepal.

“Depois de um resgate tão excepcional, mas dramático, foi triste ver como a história tomou um rumo distorcido. Libertar Rangila tem sido um processo dolorosamente lento, mas não poderíamos estar mais felizes em ver resultados positivos do governo nepalês. Esperamos que Rangila possa agora viver o resto de sua vida em paz ", comenta Manoj Gautam, do Instituto Jane Goodall.

Agora, estamos focados em garantir o transporte de Rangila com segurança, o mais rápido possível.

Em breve, compartilharemos atualizações sobre a transferência Rangila para o santuário. Acompanhe em nossa página no Facebook

Muitos ursos ainda sofrem

Apesar desse grande passo do governo do Nepal pelo bem-estar dos ursos, o sofrimento desses animais ainda está longe de terminar na Ásia.

Lutamos pelo fim das rinhas de ursos e contra a exploração sua exploração pela cruel e desnecessária indústria da bílis. Cerca de 22.000 ursos negros asiáticos são mantidos em pequenas gaiolas e são constantemente ordenhados para extração da bílis, em um procedimento doloroso.

"É um alívio saber que Rangila agora viverá a vida que merece no santuário, livre de sofrimento e recebendo os cuidados adequados”

Compartilhe

WhatsApp