Vitória! Colômbia finalmente proíbe a venda de piracatinga

04 de setembro de 2017

Bagre é pescado com carne de boto cor-de-rosa na Amazônia brasileira, usada como isca, e depois comercializado na Colômbia

Os mais de 306.000 guardiões do boto têm muitos motivos para comemorar essa notícia:

A nova resolução põe fim à enganação de consumidores, que compravam a piracatinga sob nomes falsos; protege a saúde dos colombianos dos seus altos índices de mercúrio; e ajuda a acabar com a matança de botos na Amazônia.

No Brasil, a pesca de piracatinga foi proibida por uma moratória de cinco anos – com início em janeiro de 2015. Apesar disso, o peixe continuava sendo vendido na Colômbia, um de seus principais mercados consumidores.

A nova resolução é um alívio para a Proteção Animal Mundial e outras organizações que lutam pela proteção do boto cor-de-rosa.

“Essa é uma vitória que vínhamos buscando junto a outras organizações e que complementa a moratória do Brasil”, comemora Roberto Vieto, gerente do programa de Animais Silvestres da Proteção Animal Mundial.

A decisão foi publicada no diário oficial da Colômbia e será fiscalizada pela AUNAP.

Na resolução, o governo da Colômbia confirmou os altos índices de mercúrio contidos no peixe. A evidência foi encontrada em análises feitas pela Universidade de los Andes, representando uma ameaça à saúde pública.

Agora, o país irá modificar todas as permissões já existentes e deixará de outorgar novas permissões para pescar, comercializar, processar ou transportar piracatinga em todo território colombiano.

Quem descumprir a resolução poderá ser notificado; multado; ter sua permissão suspensa ou revogada; seu barco, equipamentos ou produtos confiscados; ou seu estabelecimento fechado.

Essa é uma vitória de milhares de pessoas, que defenderam a proteção do boto cor-de-rosa e se tornaram Guardiões do Boto.

Parabenizamos também as organizações locais que lutaram pela proteção do boto cor-de-rosa na Colômbia; em particular a Fundação Omacha e a Universidade de los Andes, por evidenciar a problemática por trás do comércio de piracatinga e os seus altos níveis de mercúrio.

Esperamos que o governo da Colômbia cumpra a nova resolução e acabe com a venda de piracatinga em peixarias e outros estabelecimentos.

Mais de 306.000 pessoas apoiaram o movimento dos Guardiões do Boto

Compartilhe

WhatsApp