Vitória! Comissão Baleeira irá combater emaranhamento de baleias e pesca fantasma

12 de setembro de 2018

Governo brasileiro apresentou resolução elaborada com apoio da Proteção Animal Mundial

Em uma decisão unânime, hoje, a Comissão Baleeira Internacional (IWC) aprovou a Resolução de Combate à Pesca Fantasma. A proposta, feita pelo governo brasileiro na 67ª reunião da IWC, foi elaborada com o apoio da Proteção Animal Mundial.

"Estamos muito felizes com essa vitória! A adoção da resolução significa que, de agora em diante, a Comissão Baleeira Internacional terá que dedicar tempo e recursos para pesquisas sobre redução e erradicação da pesca fantasma de baleias e pequenos cetáceos (como golfinhos), contribuindo assim com o bem-estar e conservação desses animais", comemora João Almeida, gerente de vida silvestre da Proteção Animal Mundial.

Nossa equipe colaborou diretamente com o Ministério do Meio Ambiente na elaboração da resolução, ao longo de 2018. E nesta semana, estivemos presentes na IWC 67, em Florianópolis, para pedir aos 89 países-membros que votassem a favor da proposta.  

A pesca fantasma é a maior ameaça enfrentada pelos animais marinhos no mundo.

Mergulhador resgatando baleia emaranhada em rede fantasma

São cerca de 600 a 800 mil toneladas de materiais de pesca abandonados ou perdidos todos os anos em nossos oceanos, que representam mais da metade de todos os macro-plásticos descartados no mar e têm um impacto 4 vezes maior nos animais do que todos os tipos de lixo marinho juntos. A pesca fantasma afeta mais de 136.000 baleias, golfinhos, focas e tartarugas todos os anos.

Saiba mais sobre o nosso trabalho contra a pesca fantasma.

Após a aprovação da resolução, a Proteção Animal Mundial teve a oportunidade de falar aos membros da IWC e apresentar as recomendações da organização junto à WWF, Animal Welfare Institute, Humane Society International e dos integrantes da Global Ghost Gear Initiative (GGGI).

João Almeida (ao centro), da Proteção Animal Mundial, fala durante a IWC 67

Entre outras sugestões, o nosso gerente de vida silvestre João Almeida encorajou a IWC a continuar apoiando ativamente a Global Whale Entanglement Response Network e recomendou o uso do banco de dados da nossa GGGI – o maior do mundo sobre pesca fantasma – pelos Comitês Científico e de Conservação da IWC.

“Estamos empolgados para que a IWC comece a colaborar com a nossa iniciativa GGGI e a implementar boas práticas para prevenir, mitigar e remover redes e materiais de pesca perdidos ou abandonados nos oceanos. Isso irá reduzir o emaranhamento de animais como baleias e golfinhos. A IWC 67 nos ouviu! E esse tipo de colaboração nos ajuda a combater ainda mais a pesca fantasma”, conclui João Almeida.

Equipe da Proteção Animal Mundial junto aos representantes do Ministério do Meio Ambiente

A reunião da IWC vai até esta sexta-feira (14), em Florianópolis. O evento acontece a cada 2 anos, reunindo diferentes países e ONGs para regulamentar e discutir a proteção e conservação de baleias, assim como a caça, ao redor do mundo.

"A Comissão Baleeira Internacional terá que dedicar tempo e recursos para pesquisas sobre redução e erradicação da pesca fantasma de baleias"

Compartilhe

WhatsApp