6 motivos para adotar um cão adulto

Publicado em 16 de setembro de 2016 por

Rosangela Ribeiro

“Tem filhotes?” é a pergunta mais ouvida em feiras de adoção

E claro, nós entendemos: filhotes são adoráveis.

Todos os cães são – mas invariavelmente a maioria das pessoas passa reto pelos cães adultos e o cercado dos filhotes acaba sempre rodeado nos eventos.  

A gente bem sabe. Nas últimas semanas, a equipe da World Animal Protection e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos vêm realizando feiras de adoção no Rio de Janeiro para encontrar famílias para animais resgatados durante a Rio 2016.

São cães incríveis – o nosso Bolt correu nas arquibancadas do Engenhão no mesmo dia em que o atleta jamaicano, Phelps deu um pulinho nas águas do Parque Radical e o corajoso Apolo sobreviveu ao ataque de uma jaguatirica para salvar seus irmãos!

Ainda assim, as suas histórias são sempre seguidas da mesma pergunta: “e filhotes, tem?”.

A preferência já é um hábito no Brasil, o que resulta em abrigos e canis superlotados por animais adultos, esperando quase em vão por uma chance. As pessoas acreditam que filhotes são mais “fáceis” de educar. O que nem sempre é verdade: cães adultos também aprendem e têm várias outras vantagens, você sabia?

Abaixo, listamos 6 bons motivos para se adotar um cão adulto:

1) Aprendem fácil e já estão socializados

Foto acima: Bolt

Os cães que vivem em abrigos ou que já passaram por feiras de adoção, frequentemente já estão acostumados a interagir com outros cães e com pessoas desconhecidas. Inclusive medalhistas olímpicas, veja só!

Parte de uma adoção responsável implica em socializar o filhote para que o animal não cresça isolado e se torne assustado ou agressivo – dificultando o contato com outros cães ou pessoas novas.

No caso dos cães adultos, a sua personalidade já está formada! O que não significa que não possam aprender coisas novas...

Cachorros adultos são perfeitamente capazes de serem ensinados e de compreender reforços positivos – como ganhar petiscos quando fazem algo certo. E com uma vantagem: filhotes são hiperativos, enquanto os adultos têm mais foco e podem prestar atenção em você.

Todos os animais merecem uma chance.

2) Já passaram da famosa “fase da destruição”

Foto acima: Hércules

Quem já teve um filhote em casa, sabe bem do que estamos falando. É energia que não acaba mais! E aqueles dentinhos em crescimento parecem sempre achar um caminho até os nossos chinelos, os cantos dos móveis, o controle remoto...

Nada que não seja compensado pela fofura de um filhote, claro. Mas não seria ótimo ter um cão que já passou dessa fase?

Os cachorros adultos podem ser muito mais tranquilos neste sentido. Como o Hércules (foto acima), que gosta mesmo é de ficar tranquilo, numa boa. Também é comum que filhotes chorem mais durante a noite, enquanto os adultos tendem a se adaptar e a acompanhar a sua rotina mais facilmente. É uma maravilha!

3) Já conhecemos sua personalidade

Foto acima: Apolo

Essa é uma grande vantagem! A maioria das pessoas que visita uma feira de adoção está em busca de um animal específico: um cão mais tranquilo, um cão que passeia bem, um cão que goste de crianças, um cão leal e que proteja a família.

É difícil prever o comportamento de um cachorrinho que ainda é filhote. Nesta fase, eles têm uma rotina e comportamento diferentes do resto da vida.

Mas adivinha quais nós já conhecemos? Isso mesmo: os adultos!

Nosso Hércules, por exemplo, é muito tranquilo. Mesmo quando está com seus irmãos, ele prefere brincar um pouco e depois ficar deitado lá no seu cantinho, de boa. Já o Apolo (foto) é o líder da matilha: leal, adora pessoas e protege todo mundo. O Bolt e o Phelps são cães perfeitos para crianças, porque adoram brincar e são muito bonzinhos.

Seja qual for a personalidade que você procura, nós sabemos qual será o cão ideal. 

4) Já estão castrados, vacinados e vermifugados

Foto acima: Thiago Pereira

Serviço completo! Muitos cães filhotes ainda não têm idade para serem castrados ou para receberem determinadas vacinas. Ainda que nossas adoções sejam feitas de forma responsável – acompanhando os novos lares e agendando os procedimentos veterinários –, parte do trabalho ainda fica com o adotante.

No caso dos cães adultos, eles já estão prontos para ir para casa e curtir a nova família! Restam apenas os check-ups regulares no veterinário, que são comuns para qualquer cachorro.

5) Cães adultos sabem que foram adotados... e são gratos

Foto acima: Dezotti

O título de “melhor amigo do homem” não é à toa. Frequentemente os cães são animais leais e muito carinhosos com os seus tutores – o que pode ser dito de todos os cachorros, sejam eles adotados ou não.

A diferença com adotados adultos é que muitos viveram parte da vida em abandono ou em abrigos. Isso significa que provavelmente já passaram fome, já sofreram maus-tratos, já tiveram sede, não receberam carinho, entre outros problemas enfrentados nas ruas.

Cães que são adotados mais velhos reconhecem que a sua vida mudou – e para melhor!

Pergunte a alguém que adotou um cão resgatado: são os companheiros mais gratos. Afinal, a sua nova família é imediatamente associada a um bom pratinho de comida, a uma cama confortável, à proteção e a todo carinho que eles nunca tiveram na vida.

Quer ser esse herói para um cão? Adote e mude a vida dele.

6) E por fim...

Cães adultos são tão lindos quanto filhotes. Fala sério:

Foto acima: Phelps

Mude a vida desses cães

Quer adotar algum dos cães acima? Todos os animais que aparecem nesta matéria estão disponíveis para adoção – e para encher sua vida de amor.

Adote um dos nossos campeões! A maioria dos cães tem por volta de 2 anos de idade e foram resgatados em obras e instalações esportivas das Olimpíadas. Conheça suas histórias aqui! Para adotá-los, não é necessário morar no Rio de Janeiro.

Fale com a nossa equipe: contato@worldanimalprotection.org.br

Participe da feira de adoção

Se você está na capital carioca neste sábado (17), dê uma passadinha em nossa feira de adoção no estacionamento do Via Parque Shopping. O evento será das 14h às 19h, próximo ao portão C. 

Mais artigos de:

Rosangela Ribeiro

Compartilhe

WhatsApp