Botando ordem no galinheiro

Apesar de lucrarem bilhões de dólares com os frangos, essas grandes empresas estão fazendo pouquíssimo para melhorar suas vidas

  • 40 bilhões de frangos são submetidos à superlotação dos sistemas industriais intensivos todos os anos
  • Muitos têm de viver em um espaço menor do que uma folha de papel A4, em galpões abarrotados com até 10.000 frangos
  • Eles passam a maior parte das suas vidas sentando ou deitando em seus próprios dejetos

O ranking avalia as gigantes do fast-food com base em três critérios:

1. Políticas

Quais políticas a empresa tem para garantir o bem-estar dos frangos?

2. Objetivos e metas

Quando a empresa diz que fará mudanças para melhorar a vida dos frangos?

3. Relato de desempenho

Como a empresa está reportando seu progresso em melhorar o bem-estar dos frangos?

De acordo com sua pontuação em cada categoria, atribuímos à empresa uma nota de deficiente a muito bom. Quer saber mais? Leia o relatório completo.

Veja as pontuações

Clique nas imagens abaixo para ver a posição das gigantes do fast-food no nosso ranking:

O relatório revela quão pouco as empresas de fast food se preocupam com os frangos

Lutamos pelo bem-estar dos frangos e para responsabilizar as grandes empresas internacionais por melhorar a vida de milhares de animais.

Escolhemos avaliar essas empresas para nosso ranking, pois elas são algumas das maiores e mais importantes do setor e, portanto, têm o poder e a responsabilidade de melhorar a vida dos frangos.

Confira aqui o relatório completo

Assine nossa newsletter para receber as últimas notícias sobre nossas campanhas

Junte-se ao movimento

0

As empresas de fast-food precisam mudar

Para acabar com o sofrimento injustificável de bilhões de frangos todos os anos, essas marcas devem:

  • Parar de usar gaiolas e garantir que os frangos tenham liberdade para se movimentar
  • Usar carne de frango de linhagens que crescem em um ritmo mais natural e saudável
  • Criar ambientes nos quais os frangos tenham a oportunidade de expressar seu comportamento natural, como ciscar e explorar.

Frangos em uma fazenda certificada pela RSPCA. Foto: Cortesia RSPCA

Compartilhe

WhatsApp