Por que você não deveria compartilhar vídeos de lontras de estimação

Publicado em* 27/05/2020 by Maurício Forlani

Os vídeos fofos nas redes sociais são os maiores impulsionadores do comércio de lontras - mas esses animais silvestres sofrem muito em cativeiro.

As lontras são animais altamente sociais que vivem em grandes grupos e caçam juntos - muito longe do que acontece quando são mantidas como animais de estimação.

O número de pessoas que mantêm lontras como animais de estimação é cada vez maior, especialmente no sudeste asiático.

Com suas carinhas fofas, pelos macios e personalidade adorável, é fácil entender por que tantas pessoas ao redor do mundo são fascinadas por elas. Mas esses animais silvestres sofrem de estresse crônico quando confinados em cativeiro.

Entenda por que elas nunca terão suas necessidades completamente atendidas longe da natureza:
 

Elas não são felizes em nossas casas

Em seu habitat natural, as lontras passam a vida dentro e próximo da água. Esse nível de acesso raramente pode ser oferecido pelo tutor do animal, limitando-as a apenas alguns momentos em uma banheira ou piscina.

Elas sofrem traumas psicológicos

Muitos dos populares vídeos "fofos" de lontras de estimação nas redes sociais mostram os animais exibindo comportamentos estereotipados, ou seja, comportamentos que elas não têm na natureza, o que demonstra que estão estressadas.

Alguns desses comportamentos são correr intensamente pela sala e gritar por longos períodos - o que pode ser categorizado como "tagarelice", mas, na verdade, é um pedido de socorro.

Esses são sinais de que a lontra está sofrendo com o isolamento, de tédio e que, provavelmente, está ficando muito tempo em uma gaiola pequena que limita seus movimentos.

Elas podem machucar humanos

Não é só o ambiente doméstico que não é adequado para o bem-estar das lontras. A interação com esses animais também pode ter consequências para os tutores. Isso porque as lontras podem ser barulhentas, destrutivas e até mesmo morder as pessoas. Como resultado, elas são frequentemente abandonadas

Grupos de resgate dizem que eles têm que se desdobrar para receber o crescente número de lontras indesejadas que chegam aos seus cuidados. Muitas vezes, elas têm sinais de desnutrição e mutilações (como dentes ou glândulas removidas) para torná-las menos incômodas em casa.

Elas não são acessórios

Além das lontras de estimação no sudeste da Ásia, o Japão está passando por uma "mania de lontra", alimentada principalmente por animais de estimação que são famosos no Instagram e que são exibidos na televisão ou outras redes sociais.

As cafeterias que exibem lontras e, em alguns casos, as disponibilizam para carícias ou adoção, também fazem parte desse problema.

Nossos investigadores descobriram que as lontras desses cafés eram frequentemente mantidas em condições cruéis: sem nutrição adequada, acesso à água e enriquecimento ambiental. Em alguns casos, os animais foram vistos em evidente sofrimento.

Elas estão morrendo por serem fofas

A crescente demanda do mercado de lontras de estimação está levando ao surgimento de mais locais clandestinos de criação, com baixo bem-estar, e ao aumento da caça na natureza, principalmente na Tailândia.

Como os pais de lontras são protetores protetores ferozes, os caçadores usam cães para farejar suas tocas e os matam para roubar os filhotes, que acabam sendo vendidos no mercado ilegal online.

À medida que a popularidade dos vídeos fofos aumentam, a população desses animais na natureza diminui.

Como você pode ajudar

  • Nossas investigações mostram que as redes sociais são os maiores motivadores na criação de um desejo por lontras de estimação. Não compartilhe vídeos que mostram lontras e outros animais silvestres como animais de estimação;
  • Comprometa-se a nunca possuir um animal de estimação silvestre, incluindo lontras;
  • Assine nossa petição para que o comércio global de animais silvestres seja proibido. Para sempre.

Assinar petição